O Mecanismo: review

25 de março, 2018

Considerar O Mecanismo a melhor série brasileira Netflix pode ser pretensioso não fosse a carência do que a Netflix entregou até aqui de conteúdo feito por brasileiros até o momento, 3% teve boa aceitação mas deveu muito em capricho e suas atuações medianas. O Mecanismo já entrega uma produção bem mais concisa, atores com certa notoriedade e um assunto importante e em voga para todos os brasileiros.



A Narrativa

O tema de O Mecanismo não poderia ser mais polêmico, atual e com grande repercussão, muito além do contexto investigativo e policial da Lava-Jato, José Padilha e Elena Soarez conduzem a trama com bastante didatismo sobre o que muitos vendem como 'o maior escândalo de corrupção do mundo'.

O brasileiro apesar de estar aparentemente cada vez mais engajado com política, há muito tempo não dá atenção a compreensão dos escândalos recorrentes de corrupção envolvendo as diversas esferas de poder do país, O Mecanismo esclarece mesmo com suas incongruências, muitos pontos sobre a investigação da Polícia Federal, dando uma dimensão ainda mais escrachada de como o Brasil perece ante a podridão da corrupção.



Moro do bem?
As personagens [Spoilers?]

O primeiro ato da série é bastante surpreendente a medida que o protagonismo oscila entre a personagem de Selton Mello e Caroline Abras, dá impressão de um acontecimento mas logo este revela uma nova reviravolta, funciona bem. Selton Mello [Ruffo] vai bem, não convence muito como policial bipolar, transtornado, o nome fictício da personagem é horrível mas ganha nossa torcida a medida que faz seu trabalho de forma contundente. Caroline Abras [Verena] parece um tanto jovial para o papel desempenhado mas tem personalidade e junto aos demais também flui bem.

O destaque com certeza fica para Enrique Diaz [Ibrahim], o antagonista é provocativo, insolente, o tipo de cretino que trabalha pra político e está pouco se fudendo para os interesses de uma nação. Os demais são ok, sempre se assimilhando bastante com as figuras da história real as personagens são bem convincentes, Lula e Dilma são os mais emblemáticos.

Doleiro: vilão calhorda

O que todo brasileiro gostaria de dizer

O Mecanismo torna-se enojante ao longo dos episódios, algumas cenas representam muito bem o que qualquer brasileiro sensato pensa sobre as camadas de poder do país. Os crápulas do STF são apresentados como os bandidos de toga que o são, as menções aos partidos no esquema sem torna-los fictícios também é corajosa. Cada citação a figuras que sabemos a quem está sendo referido como 'filho da puta' e 'cuzão' me deram certa representatividade como espectador, faz-no pensar: Ainda bem que alguém falou isso de maneira 'universal'.

'com supremo, com tudo'
Importância

Óbvio que por se tratar de uma obra de ficção muita coisa ficou romantizada na história, me parece que a narrativa também iria enaltecer a figura de Sérgio Moro, dando uma leve parcialidade a história, mas O Mecanismo é corajosa por fazer menção a todas as figuras politicas que estiveram em voga desde a explosão da operação Lava-Jato, não tenta ser parcial, não poupa nenhum figurão, enaltece a discrepância que existe entre os poderes, a dificuldade de se fazer um trabalho minimamente justo mesmo na maior instituição policial do país. 

O Mecanismo é um conteúdo importante até mesmo pelo contexto histórico, pode e deveria agregar no debate, trazer a tona questões bem mais importantes que a inconsequente e muitas vezes irrelevantes do debate polarizado. Há muito o que ser feito no Brasil, há muito o que ainda acontecer por aqui e  as próximas temporadas devem nos brindar com ainda mais asquerosidades que o enredo da realidade infelizmente tem forte potencial para uma série sobre gângsters.

O senador da coca e o ilegitimo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Valeu!