Heróis e o Cinema: um acerto improvável - Super Homem


22 de maio, 2015

Saindo da sessão de O Homem de Aço [2013], contesto definitivamente a supremacia deste super-herói, o único ponto fraco capaz de derrubá-lo é um mineral alienígena verde, Superman nunca foi meu predileto justamente por isso, o cara além de ser invencível é muito politicamente correto, o último filme constata bem isso. E vai muito além, é um filme chato a beça! Os figurinos estão impecáveis, parece até que rolou um plagiozinho com a roupa das tropas do Gal. Zod com relação ao Alien não?

Os efeitos especiais são lindos, dignos da melhor computação gráfica made in sec. XXI, o Superman é um bonitão robusto como manda o enredo, Louis Lane loira, tá beleza. O resto é resto, acho que esses diretores de Hollywood [Zach Snyder e Chtistopher Nolan no caso] recebem uma grana violenta dos estúdios e quando assinam o contrato deve ter uma cláusula obrigatória de cenas intermináveis de explosão, o filme é isso, uma sequência infinita de destruição, explosões, pancadaria frenética, desligue seu cérebro e curta essa catarse audiovisual.

Não tem jeito mesmo, o filme de Christopher Reeve pode até ser tosco [né nada, ganhou até Oscar de Efeitos!], mas o ator eternizou Superman da forma mais clássica, até mesmo como Clark Kent, ainda tivemos aquele fraco Superman- O Retorno com um insosso Brandon Routh no papel e um filme pífio. Henry Cavill provavelmente voltará como Homem de Aço com mais uma historieta desinteligente para os próximos anos.